Receita de óculos: saiba como interpretar na sua ótica

Mercado de Óticas

Written by:

Para oferecer um melhor atendimento e garantir que seus clientes recebam os produtos que precisam, é fundamental que você consiga compreender uma receita de óculos. À primeira vista pode parecer complicado, mas com algumas informações em mente você será capaz de interpretar qualquer receita.

Sendo assim, explicamos neste artigo os pontos que costumam gerar mais dúvidas na leitura das receitas de óculos. Confira!

As abreviaturas da receita de óculos

Toda receita de óculos conta com a maioria das abreviaturas a seguir, então, é fundamental aprender o que cada uma significa:

  • OD — Olho Direito;
  • OE — Olho Esquerdo;
  • AO — Ambos os olhos;
  • AD — Adição;
  • DNP – Distância Naso Pupilar;
  • DP — Distância Pupilar;
  • CIL — Cilíndrico;
  • ESF — Esférico;
  • Longe — visão de longe;
  • Perto — visão de perto;
  • AV — Acuidade Visual;
  • VI — Visão Intermédia.

A interpretação dos números

Você também encontrará números que indicam as características que a lente deve ter para compensar os problemas de visão do cliente são chamados Dioptrias e popularmente chamados de “Grau”. Quando há números (abaixo) ao lado do ESF, por exemplo, significa que a lente deve apresentar uma Dioptria Esférica ou como dito no popular “grau esférico” para corrigir problemas de miopia ou hipermetropia.

Quando a receita apresenta números no CIL a lente deve contar com Dioptria Cilíndrica ou “grau cilíndrico” para corrigir astigmatismo e, nesses casos, também haverá um número indicando o grau do Eixo dessa dioptria cilíndrica.

Para casos de presbiopia — a famosa vista cansada — é indicado um valor em AD que será somado a dioptria de longe, embora muitas vezes conte com um campo só, é possível que sejam receitadas adições diferentes para cada olho, fique atento.

A ordem das informações

Nem sempre as receitas apresentam todas as abreviaturas. Se você encontrar uma receita semelhante ao exemplo a seguir:

  • OD +1,50 x 90º; ou   OD +1,50 -1,00 x 90°; ou   OD +1,50 Cil. -1,00 eixo 90°
  • OE -1,00.                  OE -1,00                             OE -1,00

Fique tranquilo. As abreviaturas podem não estar presentes, mas a ordem dos números segue uma convenção. O primeiro, seguido do símbolo + e fora de parênteses, corresponde ao ESF e indica hipermetropia. Caso fosse precedido pelo símbolo -, também corresponderia ao ESF, mas indicaria miopia.

Já o número entre parênteses corresponde ao CIL, que é preenchido quando o cliente tem astigmatismo. Logo em seguida vem o valor correspondente ao grau de posicionamento do eixo.

A ausência da distância naso pupilar

Não é sempre que as receitas de óculos contam com essa informação. Isso porque há médicos que fazem essa medição e outros profissionais que preferem deixar para o ótico. Caso a DP ou a DNP não estejam indicadas, é muito importante que a sua equipe esteja preparada para aferi-las examinando o cliente.

Sem a DNP as lentes não se adaptarão corretamente. Sendo assim, não se esqueça de medir a distância entre as pupilas do cliente para garantir que ele vá embora satisfeito.

Tenha em mente essas dicas simples e procure repassá-las para a sua equipe. Há alguns conhecimentos, como a leitura de uma receita de óculos, que serão importantes para os resultados da sua ótica.

Já deu para ver que não é tão difícil assim, certo? Há outros obstáculos, também fáceis de contornar, entre você e o sucesso do seu negócio. Portanto, continue conosco e saiba quais são os principais riscos de se investir em uma franquia de ótica.

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.